Ponte Estaiada


À primeira vista, a ponte estaiada pode parecer apenas uma variação da ponte de suspensão. Mas não deixe que suas torres e as estradas penduradas o enganem.

À primeira vista, a ponte estaiada pode parecer apenas uma variação da ponte de suspensão. Mas não deixe que suas torres similares e as estradas penduradas o enganem. As pontes estaiadas diferem das suas antecessoras por não precisarem de duas torres para garantir a sustentação do tabuleiro.

Cada cabo é conectado diretamente à torre, não havendo necessidade de um cabo principal. Por isso, as pontes que usam esse sistema têm os cabos sempre em posição diagonal. Assim, a torre de uma ponte estaiada é responsável por absorver e lidar com forças de compressão.

O esforço sobre a torre pode ser diminuído quando utilizado aço no sistema de protensão, o que garante maior segurança e absorção dos impactos sobre o tabuleiro. A ponte estaiada é ideal para intervalos mais longos do que os suportados pela cantiléver e mais curtos do que aqueles das pontes suspensas. No Brasil, um grande exemplo de ponte estaiada é a ponte sobre o Rio Pinheiros, na cidade de São Paulo.

Este artigo foi útil para você?

Deixe uma resposta