Abundânicas


Muito mais que com a qualidade do concreto a grande preocupação das obras é com o volume fornecido. É de lei, ninguém quer ser ludibriado.

Imagine, pois, nossa satisfação ao percebermos que o concreto estava sendo entregue a mais que o cobrado na NF.

A concreteira era idônea, administrada por engenheiros (e amigos), e vendia caro como as grifes. Estariam querendo agradar o Cliente? Só fomos despertar após 300 m³ lançados e adensados: a balança dos agregados estava nos “favorecendo”. A brita e a areia eram pesadas a mais, enquanto a quantidade de cimento não acompanhava a fartura, e a resistência despencava.

O fuzuê foi geral e só terminou 3 meses depois quando o resultado dos corpos de prova, extraídos da própria estrutura através de caríssimas sondas rotativas, empatou raso com o mínimo permitido na Norma.

Entre mortos e feridos salvaram-se todos, entretanto.

Este artigo foi útil para você?

Deixe uma resposta