Revista EngWhere
Revista EngWhere
  • A+
  • A-
  • Reset
ORÇAMENTOS, PLANEJAMENTOS
E CANTEIROS DE OBRAS
 

Loja Virtual

EngWhere - O Software do Engenheiro   
     Ano 06 • nº 65 • 01/03/08
Antes de planejar estabeleça metas e só depois o plano de ação.
Nesta Edição

Linha direta: Miscelânea
Marketing Empresarial: Engenheiros e Arquitetos não Vendem Produtos de Massa
Institucional: PROPOSTA Engenharia e Arquitetura Pública
Engenharia: Faixas de Domínio

"A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo." Peter Drucker.

Ico Previso EngWhere previso

Solução completa para planejamento, acompanhamento e controle de obras e da empresa.

• Planejamento, acompanhamento e controle de obra com base no confronto entre custos x faturamento x previsto x realizado;
• Com roteiro passo a passo e instruções item a item para planejar a obra e as rotinas para implantar o planejamento em empresas de todo porte;
• Com ferramenta para dimensionamento dos recursos diretos (mão de obra, materiais e equipamentos) por meio de composições unitárias de serviço (2000 composições de serviços já lançadas);
• Ferramentas para dimensionamento dos recursos indiretos;
• Gera automaticamente os gráficos e a curvas S dos totais das planilhas;
• Importa e exporta os relatórios para o Excel, Word e demais programas do Windows;
• Com ferramentas e utilitários para todas as etapas do planejamento: relatório de visita ao local da obra, matriz de responsabilidade, risco do empreendimento, rede de precedências, acesso aos organogramas do Windows, etc;
• Com formulário gerador de cronogramas físicos e de quantitativos;
• Com formulário para elaboração e armazenamento das programações periódicas dos serviço;
• Faz o controle da produção, dos índices e das medições;
• Com software de contas a pagar e receber independente, para facilitar e dar segunda opção ao lançamento de dados do acompanhamento;
• Com biblioteca de assuntos técnicos da revista e do site EngWhere;
• Com texto roteiro para estudo e definição dos métodos construtivos;
• Dispõe de ferramentas para armazenamento e criação de modelos de descritivos do planejamento, de correspondências, contratos, e outros textos em geral.

Desenvolvidos em Visual Basic para todos os Windows.
Software moderno, design arrojado, banco de dados poderosos

Clique aqui para entrar na loja virtual do EngWhere
Desconto para usuários do EngWhere.

  Linha Direta . MISCELÂNEA


Confira seus orçamentos (Dicas para checar se seu próprio trabalho ou o de seus subordinados).
1. Utilize a Curva ABC e refaça o cálculo dos 3 itens mais importantes;
2. O levantamento dos pisos internos deverá ser igual à área de construção (que você já dispõe);
3. Utilize índices próprios para checar o preço por m² de construção;
4. Refaça alguns cálculos do andar-tipo;
5. Simule o custo indireto com prazo menor ou maior que o estimado;
6. O peso do aço deverá ser de cerca de 80 a 110kg/m³ de concreto;
7. A área de forma deverá ser de 8 a 12m²/m³ de concreto.

• “Inovação é arriscada, mas não-inovação pode ser fatal.” - Philip Kotler

• "Uma biblioteca digital é onde o passado encontra o presente e cria o futuro." - Dr. Avul Pakir Jainulabdeen Abdul Kalam - Presidente da Índia - 09/set/2003 - http://www.dominiopublico.gov.br

• Versão Beta: Pesquisa de livros do Google - http://books.google.com.br

• "Dá-se muita atenção ao custo de se realizar algo. E nenhuma ao custo de não realizá-lo. ” - Philip Kotler

• “E derribarei a parede que rebocastes com argamassa fraca, e darei com ela por terra, de modo que seja descoberto o seu fundamento; quando ela cair, vós perecereis no meio dela; e sabereis que eu sou o Senhor.” - Ezequiel 13:14.

• “...nem todos os imbecis são racistas, mas todos os racistas são imbecis. Afinal, racismo é traço de demência. Não é caso de polícia. É caso de hospício." Joelmir Beting (ex-bóia-fria).

Empresário entendido: organizado e com sua empresa levada nas rédeas, sabendo onde pisa, certamente que neste exato momento haverá uma planilha em sua gaveta relacionando mês a mês, e por obra, seus gastos e receitas nos próximos 2 anos. Estará sabendo quanto irá adquirir de aço e concreto usinado, mês a mês, por obra e por bitola, até o final do ano.
E esta sua planilha é mensalmente atualizada com valores realizados. Além disto suas obras são planejadas uniformemente para permitir que os resultados de todas as obras sejam somados para gerar, sem custos, o planejamento de toda a empresa.
Nós do Previso lhe damos os parabéns! Foi para profissionais sérios e inteligentes como você, que desenvolvemos o único software brasileiro de planejamentos de obras e empresa.
Afinal a melhor maneira de garantir o futuro é criá-lo!

Início

Palavras-chave

gerenciamento contratos, gerenciamento construção civil, gestão de contratos, gerenciamento, contratos, contratos, construção civil, obra, planilha controle orçamento, programas de orçamentos, software de orçamentos, consultoria planejamento estratégico
  Ênio Padilha . MARKETING EMPRESARIAL

Engenheiros e Arquitetos
não Vendem Produtos de Massa

Ênio Padilha
Engenheiro, escritor e palestrante.
Formado pela UFSC, em 1986, especializou-se em Marketing Empresarial na UFPR, em 1996/97.
Escreve regularmente e seus artigos são publicados, todas as semanas, em diversos jornais do país.
eniopadilha@uol.com.br

Serviços de Engenharia e Arquitetura não são comprados ou consumidos por muitas pessoas, muitas vezes na vida. Portanto, nossos produtos não são de Consumo de Massa. Isso nos tira um conjunto muito grande de ferramentas e recursos do marketing tradicional (quase todo voltado para produtos de consumo de massa).

Se você tem uma loja de roupas e um cliente, por uma razão ou por outra, deixa de comprar na sua loja e compra na loja do concorrente, você ainda tem a chance de que o cliente se arrependa disso. E, da próxima vez, considere com mais carinho a possibilidade de fazer negócio com você. O mesmo ocorre se voc6e tem uma oficina mecânica ou uma lavanderia.

Porém, se você é arquiteto ou engenheiro e o cliente preferiu contratar o seu concorrente, "já era"! Mesmo que ele se arrependa. É pouco provável que ele volte para refazer o negócio com você. De maneira geral, se você é um arquiteto ou um engenheiro, você só tem uma primeira e única oportunidade de conquistar o cliente.

Na sua cidade você, provavelmente, já foi a alguns bares ou restaurantes. Gostou de alguns, encontrou defeitos em outros e desenvolveu preferências. Essas preferências que o fizeram ser mais fiel a determinados estabelecimentos decorrem exatamente do fato de que você comprou muitas vezes o mesmo produto, desenvolvendo uma "experiência de cliente".

Mas, quantas vezes você já contratou um arquiteto? E, se já contratou alguma vez, quando pretende contratar novamente?

Você pode até não ter dado a resposta padrão, mas sabe exatamente do que estamos falando. Um número muito reduzido de pessoas compra os nossos produtos. E um número ainda mais reduzido dessas pessoas volta a comprar os nossos produtos.

No nosso mercado não podemos contar com a experiência do cliente. Por melhor que seja um profissional, por mais satisfeitos que fiquem os seus clientes, é sempre pouco provável que existam compras ou consumos sucessivos.

Isso não dispensa a preocupação com a satisfação dos seus clientes (que poderão influenciar a decisão de futuros contratantes), mas, em última análise, ele sempre terá que conquistar novos clientes, o que, em certa medida, dificulta a estabilidade comercial.

Além disso, o fato de o nosso produto não ser "de consumo de massa" torna inútil todos os principais recursos de comunicação com o mercado (mídia aberta, recursos de promoção de vendas, etc.), disponíveis para os empresários que trabalham com mercadorias.

Sendo assim, essa característica (ser um produto de consumo restrito) remete a estratégias específicas de comunicação com o mercado. O fato de que os clientes potenciais de engenheiros e arquitetos não apresentarem a desejável "experiência de comprador" remete à necessidade de uma abordagem do mercado muito mais didática do que agressiva.

Engenheiros e arquitetos precisam ter em mente que não estão disputando um mercado maduro e claramente definido. Trata-se, antes, de um mercado que não existe.

Privilegiar o aspecto didático e a comunicação direta indica claramente a escolha de "mídias" muito mais simples e diretas do que as sofisticadas midias abertas (rádio, televisão, jornais e revistas).

Engenheiros e arquitetos devem dominar as técnicas de comunicação direta com os clientes, explorando recursos como visita pessoal, mala-direta e propaganda Boca-a-boca.
 

Leia outros artigos no site do Especialista: http://www.eniopadilha.com.br

Início

 
Agenda, Memos & CI's   

Pacote com os 5 Softwares da Edição Profissional do EngWhere
. EngWhere Orçamentos
. BDI - Custos Indiretos
. Previso - Planejamentos
. Eng-Obras - Gestão de Obras
. GerCon-Medic - Gestão

(R$ 759,00 em 1+2 vezes sem juros com cheques pré-datados. Sedex incluso).
0**35 3535-1734

PARTICIPE DA REVISTA ENGWHERE
* Envie-nos seus textos, artigos, comentários, dicas, notícias, novidades e experiência, para inserção nas próximas edições da Revista.

* Envie cópia deste exemplar a outros profissionais e amplie nossa comunidade.

* Se você recebeu essa edição de um amigo ou colega e ainda não é assinante da Revista EngWhere, então não perca mais tempo.


* Se você gosta do nosso trabalho, por favor nos recomende para seus amigos e colegas.

  EngWhere . NOVIDADES & BRINDES

Novos Softwares de Engenharia...

1. O EngWhere informa a revisão e modernização dos seguintes softwares:
. Foi criado o Eng-Obras com a integração dos seguintes softwares e ferramentas:
- O EngWhere Diário de Obras
- O EngWhere Caixinha de Obra
- O EngWhere GeeDoc
- O EngWhere BD
- Lançamento de despesas
- Programação de obras
- Modelos de documentos (ferramenta para armazenamento e impressão).

. Foi criado o GerCon-Medic com a integração dos seguintes softwares e ferramentas:
- O EngWhere GerCon
- Medição de obra (novo)
- Controle de medições
- O EngWhere BD
- Modelos de documentos

. O EngWhere BDI foi modernizado e acrescidas as seguintes ferramentas e softwates:
- Matriz de Risco
- Matriz de Responsabilidades
- O EngWhere BD
- Modelos de documentos
- Relatório de visita à obra.

Os seguintes softwares foram revisados e passaram a integrar outros produtos:
. O EngWhere Caixinha recebeu melhorias na proteção de seus bancos de dados.
. Ao EngWhere BD foram acrescentadas ferramentas para edição de textos pelo usuário.

2. Alterações comerciais
. Os softwares Caixinha, BD, GeeDoc e GerCon deixaram de ser oferecidos isoladamente.
. A Loja Virtual encontra-se atualizada e contempla todas as opções de fornecimento.

Antigos Usuários
1. Os usuários do GerCon, do BD, do Caixinha e do BDI, estão liberados para baixar os softwares do site do EngWhere e instalar gratuitamente as novas versões.
Será necessário:
a) seguir as instruções de instalação, usar as mesmas senhas do ZIP e o mesmo caminho informado no e-mail de remessa dos softwares e
b) antes de desinstalar as versões anteriores, resgatar as liberações ao site do EngWhere, para liberar as novas versões, pois não serão fornecidas novas liberações.

2. Os usuários do DO, do BD, do Caixinha e do GeeDoc terão desconto de R$ 40,00 por software na aquisição do Eng-Obras;

3. Os usuários do BD terão desconto de R$ 40,00 na aquisição do novo BDI;

4. Os usuários do Caixinha e do BD terão desconto de R$ 40,00 por software na aquisição do Previso.

5. Entrar em contato com o suporte do EngWhere para confirmar o valor final, antes de adquirir nesta promoção.

...com o Prodigioso Suporte do EngWhere

Oferecendo a parceria ao empresário e o coleguismo ao profissional, incluem no suporte do EngWhere durante a vida inteira do comprador:

• Orientação e esclarecimentos de dúvidas sobre a operação dos softwares;
• A consultoria gratuita em orçamentos e planejamentos de obras em geral;
• A compra de novas liberações, para seu exclusivo uso, por 1/4 do valor do software;
• Descontos significativos em todos nossos demais produtos;
• Custos de interurbanos aos sábados arcados por nós;
• Percentual de 20 a 25% sobre eventuais vendas que, mesmo não intencionalmente, tenha provocado ao indicar o software;
• Recebimento gratuito de listas de preços de insumos atualizados para orçar obras, disponibilizados eventualmente na página do usuário;
• Composições unitárias de preços novas já lançadas nos bancos de dados do EngWhere, disponibilizadas eventualmente na página do usuário;
• Utilização gratuita do FTP Guilda do EngWhere para armazenamento e envio de arquivos via Internet;
• Brindes diversos e periódicos, como o desta edição;
• Nos solicitar revisões de nossos softwares para atender às suas necessidades e ser atendido sempre que pudermos;
• Nos solicitar novos softwares como se tratasse de encomenda própria e gratuita desde que dentro de nossas possibilidades e seja do interesse da coletividade;
• A assinatura gratuita do boletim do gato pingado;
• Espaço no site do EngWhere para o profissional propagar seus serviços ou a empresa trocar links.
• Eventual recebimento de cópias grátis sempre que são lançadas novas revisões de softwares mesmo que diferentes do adquirido;
• Cópias grátis ou subsidiadas de eventuais revisões de nossos softwares, como as oferecidas nesta edição;
• Esta maravilhosa e decantada revista de Engenharia, única publicação que, para massagear o ego de seus leitores, declara com incontido otimismo que a Engenharia ainda poderá valer a pena.

Início

  Marcio de Almeida Pernambuco . INSTITUCIONAL

PROPOSTA : Engenharia e Arquitetura Pública

Marcio de Almeida Pernambuco
Engenheiro Civil
engpernambuco@uol.com.br

Um programa de Engenharia e Arquitetura Pública é uma forma de garantir à população carente o acesso aos serviços profissionais que ela não consegue pagar.
Este é um assunto em discussão no Sistema há mais de 30 anos,MORADIA POPULAR. Como dar acesso à população, aos conhecimentos técnicos das profissões regulamentadas por lei? A exemplo da medicina, onde o cidadão tem acesso aos serviços de saúde através do SUS, e também no direito, onde os advogados prestam assistência jurídica à população nas Defensorias Públicas, na nossa área apenas na área de agronomia o Estado presta assistência técnica à população através da Emater, porém, na engenharia e arquitetura pública isto não acontece.
Mas este benefício precisa ser levado também para a Arquitetura e Engenharia civil. É na construção civil, que a população, principalmente a de baixa renda, constrói suas moradias sem nenhum critério técnico, até por desconhecimento desta necessidade e, com isto, constrói mal, gastando mais, com desperdício de material e, muitas vezes, colocando em risco a segurança da comunidade e do meio ambiente.
A idéia de engenharia publica está prevista no artigo 4º - item V - letra R do Estatuto da Cidade, que prevê a assistência jurídica e técnica à população de baixa renda. A Constituição Federal assegura o direito das famílias de baixa renda à assistência técnica pública e gratuita para o projeto e a construção de habitação de interesse social, como parte integrante do direito social à moradia previsto no art. 6º da Carta Magna, e consoante o especificado pelo art. 4º, inciso V, alínea “r”, da Lei nº. 10.257, de 10 de julho de 2001, que “regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências”;
Se a Prefeitura do seu município não possui Convênio que caracteriza o Conceito de Moradia Econômica, do CONFEA, que descreve as habitações de caráter popular (Decisão PL- 0470/98), ela não pode utilizar deste dispositivo e a fiscalização dos Creas, são obrigadas a intervir. Nos municípios que o convênio não existe, os políticos espertos, alavancam candidaturas fornecendo gratuitamente “plantinhas”, que são trocadas por votos, anotados pela ignorância e falta de acesso a política pública dos cidadãos mais humildes. Sem um convênio não é válido e a ART recolhida com os subsídios do CREA e pode ser considerada nula a responsabilidade e o profissional responsabilizado! Confira a página 62 do Manual de Procedimentos para a Verificação do Exercício Profissional , que diz que : - Deverá ser verificada a existência de Responsável Técnico e de ART pela execução da obra, os termos do Convênio e a regularidade da obra. Caso haja irregularidade, elaborar relatório informando quanto à situação sócio econômica do proprietário e notificar a Prefeitura Municipal para regularização.
Decisão PL- 0470/98: “Caracteriza-se como moradia popular, dentro do contexto da Engenharia Civil e Arquitetura, edificação construída pelo proprietário, muitas vezes a partir de projeto-padrão fornecido pela Prefeitura Municipal, com pequena área construída, sem perspectiva de acréscimo, com aspectos estruturais primários, localizadas geralmente em regiões de baixo poder aquisitivo.”
Este tipo de programa está presente em vários municípios do país, se não existe na sua cidade lute para implantar um. Que pode ser assim:-
1 - Apresentação:
Um Programa de Engenharia e Arquitetura Pública pretende, por meio de uma parceria entre CREAs, Entidades de Classe e Prefeituras, proporcionar serviços, disponibilizar técnicos e promover o crédito à população de baixa renda, visando à construção de uma cidade mais harmônica, a melhoria das condições de habitabilidade das construções populares e o controle do uso e ocupação do solo urbano por parte do poder público.

2 - Objetivos:
Proporcionar à população alvo, serviços especializados de Engenharia e Arquitetura, garantindo segurança, economia e qualidade, baseado no interesse social e humano com participação e orientação técnica.

3 - Princípios:
- Privilegiar o espaço da cidadania, universalizando o princípio de direito à cidade;
- Proporcionar atendimento individualizado - atendendo às necessidades específicas de cada um, proporcionando projetos diferenciados para famílias, terrenos e necessidades não padrões;
- Levar em consideração a realidade de cada município;
- Atender à população de baixa renda;
- Diminuir o déficit habitacional do município;
- Possibilitar o controle do uso e ocupação do solo;
- Direcionar o programa para edificações residenciais de até 70,00 m2;
- Disponibilizar profissionais habilitados para projetos de: Arquitetura, Hidro - sanitário Elétrico e Estrutural Lista de Materiais, Orçamento e Acompanhamento Técnico;
- Viabilizar serviços básicos de infra-estrutura urbana;
- Possibilitar a regularização de imóveis;
- Obter a isenção das taxas junto ao INSS, Prefeituras, Cartórios;
- Proporcionar atendimento individualizado;
- Possibilitar e privilegiar o profissional recém formado o acesso a este programa.
4 - Desenvolvimento do Programa:
O programa será desenvolvido sob dois aspectos: Normativo e Operacional.
Normativo: Através da elaboração de minutas de Projetos de Lei e Convênios a serem enviados aos poderes Executivo e Legislativo, bem como aos movimentos sociais organizados, outros Conselhos ou Ordens;
Operacional: Contato direto com os parceiros envolvidos, objetivando a divulgação do programa, a valorização de profissionais para a elaboração dos projetos, acompanhamento técnico e o financiamento; a assessoria ao cadastramento das famílias interessadas e a criação de um Fundo para Engenharia e Arquitetura Pública. 5 - Entidades participantes:
Prefeitura: Agente principal;
Viabiliza a participação dos profissionais;
Desburocratizar e isenta de taxas;
Criar e participa do Fundo para Engenharia e Arquitetura Públicas.
CREAs: Catalisador do processo;
Desburocratiza e isenta ou reduzir taxas e placas;
Participar do fundo;
Divulga o programa.
Entidades de classe / Associações: Gerenciar o programa e indicadora dos profissionais habilitados;
Aprova através de tabela de honorários mínimos;
Divulga o programa.
Entidades de ensino: Desenvolvem pesquisas de tecnologias alternativas e realizar serviços especializados.
Profissionais: Realizam um serviço técnico especializado subsidiado, com caráter social e humano.
Outras Entidades, Conselhos ou Ordens: Participam como colaboradores ou facilitadores na intenção.
Órgãos de financiamento (CEF, CDHU e outros): Facilitam o acesso ao crédito.
O INSS: libera a cobrança de valores para moradias com o conceito de "moradia econômica", conforme o Artigo 50 da Lei 8212/91, (com a nova redação da Lei nº. 8620/93), isenta de matrícula no INSS, bem como da apresentação de Certidão Negativa de Débito (CND) para obtenção do "Habite-se" para a construção residencial unifamiliar, com área total não superior a 70m², destinada ao uso próprio, do tipo econômico e executada sem mão-de-obra assalariada.
Empresas públicas e privadas: Participam do empreendimento como parceiros.
Associações de moradores e Movimento pela Moradia Popular: Divulgam o programa, cadastrando interessados. 6 - Funcionamento do Fundo para o Programa de Engenharia e Arquitetura Pública:
- Criado por Lei Municipal
- Gerenciado por Conselho Municipal, formado por representantes da Prefeitura, Movimento de Moradia Popular, CREA, Entidade de Classe, etc.
- Coordenado pela Entidade de Classe.

7 - Etapas de funcionamento
- Divulgação
- Cidadão procura a Prefeitura, munido de documentos comprobatórios em relação a sua condição.
- Associação indica o profissional, através da listagem de opção de participação dos profissionais.
- Prefeitura encaminha, se for o caso ao Órgão de financiamento. Prefeitura pode optar por escolher os bairros do município onde o programa pode ser implantado.
- Profissional elabora orçamento, de acordo com tabela aprovada pela Entidade, que é aprovado pela Prefeitura
- Profissional elabora projetos, lista de materiais, cronograma e orçamento.
- Cidadão/Prefeitura aprovam.
- Prefeitura libera pagamento, referente à etapa realizada pelo profissional, através do projeto de Lei.
- Cidadão inicia a obra, com financiamento ou não, sob orientação do profissional.
- Medições da obra, com acompanhamento técnico e mediante a comprovação do proprietário, o profissional recebe seus honorários.

8 - Beneficiários do Programa:
Este programa beneficia toda a Sociedade, tais como:
A Prefeitura - Ganhos sociais com atendimento à população de baixa renda, com um melhor controle do uso e ocupação do solo urbano.
A População - Melhor qualidade de vida, além de proporcionar ao usuário atendimento individualizado - atendendo às necessidades específicas de cada família.
Os Profissionais - Oportunidade de prestar um trabalho de caráter social e humano contribuindo para um melhor controle do uso e ocupação do solo urbano.
O CREA - Cumpre com sua missão no desenvolvimento da sociedade, buscando a valorização profissional, a segurança e a melhoria da qualidade de vida.
A Entidade – Passa a ter presença mais atuante junto à Comunidade, estabelecendo sua imagem de prestadora de serviço já que estará à disposição dos interessados para a necessária orientação técnica durante a construção da obra.

9 – Considerações
Nos termos do artigo 2º, incisos I e II, da Lei Federal nº. 10.257/01 (Estatuto da Cidade):
“A política urbana tem por objetivo ordenar o pleno desenvolvimento das funções sociais da cidade e da propriedade urbana, mediante as seguintes diretrizes gerais”:
I – garantia do direito a cidades sustentáveis, entendido como o direito à terra urbana, à moradia, ao saneamento ambiental, à infra-estrutura urbana, ao transporte e aos serviços públicos, ao trabalho e ao lazer, para as presentes e futuras gerações;
II – gestão democrática por meio da participação da população e de associações representativas dos vários segmentos da comunidade na formulação, execução e acompanhamento de planos, programas e projetos de desenvolvimento urbano.
O Estatuto da Cidade integra os direitos humanos em seus aspectos políticos e de cidadania, bem como econômicos, sociais, culturais e ambientais. Assim como o direito à cidade, o Direito à Moradia também deve ser compreendido em seu aspecto econômico, social, cultural e ambiental.

“Todo ser humano tem direito a uma moradia digna e decente”
- Engenheiro Civil Marcio de Almeida Pernambuco - CREA 0600905790

(Ps.: Um agradecimento especial ao Engº Maurício Fernandes, do CREA-MG, grande incentivador deste pleito.)

Extraído do Boletim eletrônico "Dicas do Pernambuco" - Número 19 /07

Início

  Adilson Luiz Gonçalves . ENGENHARIA
Faixas de Domínio
Adilson Luiz Gonçalves
Engenheiro, Professor Universitário e Articulista.
algbr@ig.com.br
Vias de transporte prevêem faixas de domínio cuja função é assegurar operacionalidade, áreas de expansão do sistema, segurança e acesso para manutenção, entre outras coisas. Assim, o em torno de aeroportos deve ter restrições quanto à expansão urbana e implantação de áreas para disposição final de resíduos urbanos (que podem atrair aves), e o gabarito (altura máxima) das edificações não deve prejudicar suas operações. No caso de ferrovias, essa faixa também serve para evitar que descarrilamentos atinjam edificações. Já nas dutovias (oleodutos, etc.), as faixas de domínio permitem a identificação visual de anomalias e seu reparo.

Sua importância é insofismável!

Mas as faixas de domínio têm “inimigos” sempre à espreita: a especulação imobiliária, as invasões, “cidadãos” que as transformam em áreas de descarte de lixo e entulho, e a negligência ou conivência dos responsáveis por sua preservação. Graças a eles, ao aterrissar em Congonhas é possível ver pessoas nos cômodos de prédios vizinhos; trens são obrigados a transitar lentamente entre barracos cujas paredes distam poucos centímetros dos vagões; palafitas são construídas ao lado de oleodutos.

Nessas condições, qualquer acidente será trágico!

Cubatão - SP foi palco, em 1984, de um pavoroso incêndio que vitimou dezenas de moradores de uma favela cujas habitações foram construídas ao longo de um duto de combustíveis. Houve um vazamento...

Os aeroportos de Congonhas e Cumbica já tiveram acidentes que atingiram áreas habitacionais em suas proximidades.

Então alguém dirá: “Isto não deveria estar numa área urbana!”. Só esses equipamentos estavam lá bem antes da urbanização, ou foram implantados mediante desapropriações. A grande falha nesses casos é permitir a ocupação inadequada das faixas de domínio desses equipamentos.

É certo que o déficit habitacional e a especulação imobiliária provocam tensões nas cidades. Com isso, qualquer área livre é vista como um terreno baldio, quando poderia ser uma oportunidade de investimento, de aumento de arrecadação, de garantir votos, de ter um teto.

Nesse contexto, ganância, politicagem, corrupção, incompetência e desespero podem ultrapassar os limites do bom senso e preparar o terreno para tragédias.

Não se trata de insensibilidade quanto a problemas sociais. Cabe ao Estado resolvê-los de forma premente, mas equilibrada, dentro das limitações das leis que ele próprio cria. Também não se trata de erguer bandeiras ideológicas contra a economia de mercado. Mas o cuidado com as faixas de domínio é fundamental para evitar a propagação material e humana dos efeitos de acidentes.

Por tudo isso, elas devem ser preservadas ou criteriosamente utilizadas!

Fones: (13) 32614929 / 97723538

Início

Distribuição
A Revista está sendo distribuída em parceria também por:
Outdoor da Engenharia :: A sua biblioteca virtual de Engenharia Civil - 100% gratuita. Programas, artigos técnicos, apostilas e biblioteca para AutoCad. Clique aqui para assinar já o Mailing List do Portal, ou faça-lhe uma visita: www.outeng.com

todo o site
EngWhere Orçamentos Ltda ® - Todos os direitos reservados